Destaques

AIAG & VDA FMEA 1ª Revisão Mai/19

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Desde Nov/14 vem sendo desenvolvido o projeto de alinhamento entre os manuais de FMEA AIAG (americano) e VDA (alemão), que resultou no manual AIAG&VDA FMEA 1ª Revisão publicado no final de Mai/19. Também é uma resposta ao aumento da complexidade dos veículos, devido ao maior número de componentes e interações entre eles. É esperado que um processo de FMEA eficaz reduza o custo da qualidade.

O novo formulário é bem mais longo que o anterior, porque a análise é mais detalhada, e é possível usar softwares em casos mais complexos. O NPR foi substituído pelo AP (Prioridade de Ação), uma tendência iniciada na revisão 4 do FMEA AIAG. Este AP é baseado em Ocorrência, Severidade e Detecção e pode ser Alto, Médio e Baixo, que indica a prioridade de ação.

O documento deve ser elaborado por meio de uma abordagem de 7 etapas (planejamento e preparação, análise da estrutura, análise da função, análise das falhas, análise dos riscos, otimização e documentação dos resultados), alinhada às 5 fases do APQP e ao VDA MLA (Nível de Maturidade para Peças Novas), resultando na elaboração do DFMEA e PFMEA. Não se trata portanto de preencher um formulário, mas de uma metodologia de trabalho da equipe multidisciplinar. A partir do modo de falha, deve ser analisado o efeito da falha a montante e a causa da falha a jusante (no DFMEA devem ser analisadas as interações entre sistema, subsistema e componente e no PFMEA a relação entre todo o processo, o processo em análise e atividades do processo analisado por meio de análise dos 4Ms), o que vai demandar um conhecimento mais profundo da equipe multidisciplinar.

A ocorrência agora está ligada aos controles de prevenção, enquanto que a detecção aos controles de detecção. A severidade deve ser baseada no efeito potencial mais sério levantado. Foram elaboradas novas tabelas de severidade, ocorrência e detecção, com novos critérios.

Adicionado capítulo “FMEA Suplementar para Monitoramento e Resposta do Sistema” (FMEA-MSR), para analisar falhas durante a operação do usuário do veículo e evitar uma falha de Alta Prioridade descrita no DFMEA capaz de gerar um estado de operação degradada.

Há uma preocupação com o know-how contido nos FMEAs, e é compreendido que nem sempre esse documento pode ser cedido a outros.

A transição para o novo modelo deverá ser gradual. Novos projetos poderão requerer o uso da nova abordagem, a menos que seja apenas uma pequena alteração de um projeto corrente, a critério do cliente. Os FMEAs de produtos correntes, feitos conforme o manual de FMEA 4ª edição poderão existir até que alterações maiores sejam feitas, a critério do cliente. A própria equipe multidisciplinar poderá decidir a migração de FMEAs atuais para a nova metodologia.Treinamentos devem ser liberados pelo AIAG e VDA a partir de Ju/19 e prazo para migração será definido após Out/19.

A LATO QUALITAS pode prover treinamento, consultoria e auditoria para o AIAG&VDA FMEA 1ª edição. Consulte-nos.

 

Nasario de S. F. Duarte Jr.
1 de julho de 2019

Deixe um comentário

ÚLTIMOS ARTIGOS

A IATF16949 e o Plano de Contingência

Nesses anos de 2020 e 2021, devido à pandemia COVID-19 e seus desdobramentos, muitas empresas passaram por situações como elevado índice de absenteísmo e falta

ÚLTIMAS NOTÍCIAS